Santinho de Papel para promessa com Oração Nossa Senhora da Cabeça
Product ID: 269
New In stock
Santinho com Oração Nossa Senhora da Cabeça

Santinho com Oração Nossa Senhora da Cabeça

 
Simulador de Frete
- Calcular frete

Santinhos com Oração Nossa Senhora da Cabeça.
Escolha a embalagem com 100, 500 ou 1.000 e depois é só clicar em "Comprar".

Impresso em papel couchê 90g (fino) - colorido frente e verso.
Tamanho 7x10cm.

Santinhos de papel para promessas ou para promoção e propagação da fé.

A oração está impressa exatamente da maneira como na imagem.
Para personalizações, envie email para contato@ajudadivina.com.br

Loja virtual de artigos religiosos católicos Ajuda Divina. 
Produtos religiosos católicos, presentes religiosos, jóias religiosas, Camisetas Católicas, Santinhos, faixas e muito mais. Compre agora e com segurança!

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.

Características



    HISTÓRIA DE NOSSA SENHORA DA CABEÇA
    Reproduzimos aqui a história da origem da devoção a NOSSA SENHORA DA CABEÇA, segundo o Manual do devoto, escrito por uma Confraria de Nossa Senhora da Cabeça da Catedral do Rio de Janeiro, edificada em 1910.

    Eis o resumo das notas do Manual:

    NUESTRA SENORA DA CABEÇA possui uma história maravilhosa, que teve seu início no ano de 1227, nos contrafortes da SERRA MORENA, ANDALUZIA, região espanhola, onde fica situada a cidade de ANDUJAR, a 18 km. do pico denominado CABEÇA. As terras ao lado da montanha eram utilizadas como pasto, sobretudo para criação de carneiros, vigiados por pastores. Gente simples, pobre e religiosa. Dentre eles, JOÃO ALONSO RIVAS, natural de Granada, filho de cristãos cativos e fugitivos da tirania dos mouros, dos Árabes. Durante a fuga, João Rivas perdeu um braço.

    João era muito piedoso e muito devoto da Virgem Maria, a quem dedicava suas orações, enquanto apascentava suas ovelhas. Por várias vezes, parecendo vir do alto da montanha, ele ouvia um toque de campainha. Pensava: "deve ser pura imaginação, coisa de um viver solitário, nestas terras altas".

    Numa noite, 12 de agosto de 1227, o pastor João Rivas, ouvindo mais distantemente o som da campainha, seus olhos depararam com um brilhante luzeiro no alto do Monte Cabeça. Ele, sem dúvidas nem medo, partiu em direção ao Célebre pico. Chegando lá, ouviu o toque da campainha saindo da gruta, de onde saíam também, raios luminosos. Entrando na caverna viu, sobre as pedras, uma belíssima Imagem de Nossa Senhora, e a campainha que presa a um galho, ao lado da Virgem, continuava a bater. Voltando ao normal, João dirigiu-se à Mãe de Deus e perguntou: "fostes vós, ó minha Mãe, que pelo vosso influxo me atraístes à Vossa presença, para divulgar os Vossos desígnios? Se assim é, dizei-me o que devo fazer e a Vossa vontade será cumprida". E uma voz dulcíssima, que parecia vir do céu, falou-lhe assim: "Não temas, servo de Deus. Vai à cidade de Andujar e dizei a quantos encontrares que chegou o tempo de cumprir a vontade de Deus, fazendo construir neste lugar, um templo, onde hão de operar os prodígios em favor dos que acreditarem". João prometeu à Virgem Mãe de Deus, fazer tudo quanto Ela ordenara. Temendo que os habitantes de Andujar achassem que ele fosse um louco visionário ou impostor, recebeu de Nossa Senhora o SINAL: "Vai cristão venturoso! O testemunho de suas palavras será o teu braço perdido que eu te restituo". João Rivas viu seu braço direito perfeitamente são. Ao clarear do dia João Rivas, tendo à frente o Vigário e outras autoridades, foram ao Monte Cabeça, lev aram a Imagem em triunfo para Andujar e foi aclamada Padroeira sob a invocação de NOSSA SENHORA DA CABEÇA.

    Daí em diante, foram multiplicando-se os milagres operados por Deus, pela intercessão da Padroeira. Dentre os muitos milagres realizados, teve grande repercussão o que se deu em favor de um nobre senhor condenado à morte (cortar a cabeça), o qual fez voto de ir, se a Virgem o salvasse, depositar uma cabeça de cera aos pés da Sagrada Imagem. Além de fazer o milagre pedido, na hora da execução da pena de morte, a multidão em delírio, viu chegar o mensageiro do rei trazendo a graça ao condenado: " A Virgem o libertou!" O feliz agraciado cumpriu seu voto e é em recordação de tão extraordinário acontecimento que a partir daí , nos Santuários dedicados à Nossa Senhora da Cabeça, a Imagem dela é representada trazendo na mão direita, uma cabeça ( confere: Manual de Nossa Senhora da Cabeça, pág. 10ss. Rio-1910).

    No BRASIL, desde 1910, NOSSA SENHORA DA CABEÇA é venerada na Catedral do Rio de Janeiro.

    Do Rio de Janeiro, Ela saiu para chegar a cidade de Perdizes

    Em 1948, o lojista Sr. Aristonides Afonso do Prado e sua esposa D. Maria Luiza, perdizenses, trouxeram do Rio de Janeiro, esta IMAGEM DE NOSSA SENHORA DA CABEÇA, para nossa cidade de Perdizes, e juntamente com o Vigário, o Revmº. Pe. Henrique Oliver, fizeram a primeira festa em novembro de 1948, distribuindo a Oração da Novena. O motivo de tudo isso foi uma grave doença que padecia o Sr. Aristonides e da qual foi curado, totalmente, em razão da promessa feita a NOSSA SENHORA DA CABEÇA.

    Em 1966, assume a direção da Paróquia o Revmº Pe. Calimério Afonso Nunes, que deu continuidade à realização da Festa e procurou incentivar a devoção, vendo nela o melhor caminho de levar os fiéis até Jesus e seu Evangelho. Ele fixou todas as Quartas-feiras, às 19:00, MISSA E NOVENA PERPÉTUA, em favor dos doentes, e Nossa Senhora tem concedido muitas graças de curas de males físicos e espirituais.

    O testemunho de todas estas graças se manifesta, nos mais variados objetos (cabeças de cera, fotos, cabelo, etc.), que são depositados no seu altar, e também nas cartas que chegam de todas as partes do Brasil, até onde chega o conhecimento desta devoção.

    fonte: Santuário Diocesano de Nossa Senhora da Cabeça http://www.sivolc.com/ns/historico.php

    Confira também